10 fevereiro 2019

Fusões e Aquisições: 52 transações realizadas em janeiro/19

Queda dos negócios de fusões e aquisições de empresas no mercado brasileiro no mês de janeiro/19. Foram realizadas  52 transações, uma queda de 10,3% em relação ao mesmo mês de 2018, quando foram divulgadas 58 operações.
  Em volume financeiro, essas transações movimentaram cerca de R$ 11,8 bilhões, queda de 47,9% em relação ao mesmo mês do ano anterior.
  No acumulado dos últimos doze meses sinaliza uma queda de 3,0% do número de transações, com  832 negócios, comparativamente com o acumulado do mesmo mês do ano anterior.
   Valor médio das transações acumuladas no mês  registrou queda de 41,9% em relação ao mesmo período do ano passado.
   Os setores de TI, OUTROS e INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS foram os mais ativos no primeiro mês do ano.
  O maior apetite no mês ficou por conta dos investidores Estratégicos  com 38 operações.
  Os Financeiros realizaram 14 operações no mês.
  Os investidores de Capital Nacional foram responsáveis por 34 operações no mês.
  Os investidores de Capital Estrangeiro realizaram no mês 18 operações.
  Por país, os EUA, com 6 operações,  foi o de maior apetite estrangeiro no mês.
  Maior transação do mês  de janeiro/19.  A elétrica italiana Enel vende usinas eólicas e solares no Brasil à chinesa CGN Energy International Holdings em uma transação avaliada num total de 2,9 bilhões de reais.

ANÁLISE DO MÊS

Concentração setorial - Os 5 setores mais ativos responderam por 71,2% do total das operações e 73,4% do valor total dos investimentos.



Queda de 44,1% do número de operações  em relação ao mês anterior. Foram divulgadas com destaque pela imprensa neste mês 52 transações em 16 setores da economia brasileira, registrando uma queda de 44,1% em relação ao mês anterior ( 93 operações). No confronto com o mesmo mês do ano anterior,  constata-se uma redução  de  10,3%, quando foram apuradas 58 negócios.


Evolução nos últimos 5 anos  - No primeiro mês de 2019, apuradas 52 operações.



Maiores apetites x maiores quedas.  Setores mais representativos. No gráfico dos setores mais ativos no primeiro mês de 2019, além de TI, destacam-se OUTROS e INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS.



O acumulado do volume de transações dos últimos doze meses sinaliza queda. O mês sinaliza uma queda  de 3,0% do número de transações de M&A acumuladas nos últimos doze meses - janeiro de 2019, com  832 operações, comparativamente com o mesmo período do mês  anterior. Já em relação ao mesmo período acumulado do ano anterior - janeiro/18 - verifica-se uma queda  de 3,9%.
No gráfico do acumulado, pode-se inferir ciclos distintos de crescimento e queda do número de transações. Destaca prováveis fatores que mais estão repercutindo nas expectativas de investimentos e, no detalhe, a evolução da série histórica da taxa de câmbio no mesmo período.


Porte: 58% das transações no mês são de porte até R$ 50 milhões - Das 52 transações apuradas no mês,  30   são de porte até R$ 49,9 milhões -  57,7% do total e responderam por 3,4% do seu valor.
O intervalo de operações de porte  de R$ 50 a R$ 500 milhões foi único a apresentar crescimento no mês, de 7,7%.
A maior queda foi constatada no volume de transações de porte maior do que um bilhão de reais.


Queda de 47,9% do montante dos investimentos no primeiro mês de 2019.  Quanto aos montantes dos negócios realizados, estima-se o total de R$  11,8 bilhões, representando uma queda de 47,9%  em relação ao mesmo mês de 2018 - considerando Valores Divulgados ( 74,9%)  e Não Divulgados/Estimados (325,1%).
A maior queda no montante dos investimentos ocorreu nos negócios acima de R$ 1,0 bilhão - 59,4%




Valor médio das transações no mês de janeiro registrou queda de 41,9% em relação ao mesmo mês de 2018. O valor médio das transações realizadas em janeiro alcançou R$ 226,1 milhões, contra R$ 389,3 milhões no mesmo mês de 2018, representando uma queda de 41,9%.



Investidores estratégicos predominam no volume e montante das operações - O maior apetite neste mês ficou por conta dos investidores Estratégicos  com 38 operações (73,1%), e responderam por 68,5%  dos montantes investidos.


Os Financeiros realizaram 14 operações no mês de janeiro, no montante  R$ 3,7 bilhões.



Investidores Nacionais com maior apetite no mês de janeiro  no volume de transações. Os investidores de Capital Nacional foram responsáveis por 34 operações - 65,4%, no mês.



Investidores Estrangeiros responderam  por 78,6%  do montante das transações. Os investidores de Capital Estrangeiro realizaram no mês, 18 operações no montante de R$  9,2 bilhões.

Por país, os EUA, com 6 operações foi o de maior apetite estrangeiro no mês de janeiro/19.

Maior transação do mês  de janeiro/19.  Enel vende usinas de energia renovável no Brasil à chinesa CGN Energy por R$2,9 bi - Negócio envolve 100% dos ativos, que já estão operacionais, com pagamento no momento do fechamento. A elétrica italiana Enel assinou por meio da subsidiária Enel Green Power contrato para a venda de 540 megawatts em usinas eólicas e solares no Brasil à chinesa CGN Energy International Holdings em uma transação avaliada num total de 2,9 bilhões de reais, ou 700 milhões de euros.  16/01/2019

SUMÁRIO DOS DESTAQUES DO MÊS - FUSÕES E AQUISIÇÕES
A ordem da relação das transações de Fusões e Aquisições segue a data em que foram divulgadas pela imprensa e/ou  postadas no blog fusoesaquisicoes.blogspot.com. onde  podem ser localizadas.


M&A - QUEM, O QUÊ, QUANDO, QUANTO, COMO e POR QUÊ
 A pesquisa FUSÕES E AQUISIÇÕES - DESTAQUES DO MÊS tem o propósito de captar o “clima” do mercado das operações de Fusões e Aquisições bem como sinalizar suas principais tendências. Trata-se da compilação de notícias visando tornar mais acessíveis e conhecidos os negócios de fusão, aquisição e venda anunciados/realizados entre empresas com atuação no Brasil. Todas as informações sobre os negócios citados no presente relatório são obtidas a partir de notícias consideradas confiáveis publicadas pela imprensa e divulgadas no “estado" pelo blog FUSOESAQUISICOES.BLOGSPOT http://fusoesaquisicoes.blogspot.com.br , não sendo feita qualquer verificação quanto à sua veracidade, precisão ou integridade do conteúdo. Operações divulgadas em relatórios anteriores podem sofrer alterações, por conta de cancelamentos, renegociações, atualizações,  etc. Sempre que possível, serão mencionados os nomes dos compradores – investidor estratégico ou fundos de private equity, dos vendedores, a tese de investimento e principais “value drivers”, o valor da transação, forma de pagamento, múltiplos praticados (Valor da Empresa/EBITDA, Valor da Empresa/Receita) etc. Muitas vezes a notícia não é clara a respeito dos valores/forma de pagamentos e respectivos múltiplos. É bem-vinda toda e qualquer contribuição para tornar as informações mais precisas e transparentes.

10 fevereiro 2019



0 comentários: