06 agosto 2018

FUSÕES E AQUISIÇÕES: 60 TRANSAÇÕES REALIZADAS EM JULHO/18

O mês de Julho fechou com  60 transações de fusões e aquisições de empresas no mercado brasileiro, o que equivale a uma queda de 3,2% em relação ao mesmo mês de 2017, quando foram divulgadas 62 operações. Em volume financeiro, essas transações movimentaram cerca de R$ 24,7 bilhões, queda de 27,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior.
   O acumulado de 2018, com 449 operações, praticamente repetiu o mesmo volume do ano passado, quando foram apuradas 450 transações,  já em relação ao montante dos investimentos, verificou-se  crescimento de 29,1%, alcançando de  R$ 166,0 bilhões.
   No acumulado dos últimos doze meses sinaliza um crescimento de 3,4% do número de transações, com  855 negócios, comparativamente com o acumulado do mesmo mês do ano anterior
   Valor médio das transações acumuladas nos primeiros sete meses,  registrou crescimento de 29,4% em relação ao mesmo período do ano passado.
  O maior crescimento do número de transações no acumulado do ano ocorreu nos negócios de  porte até R$ 50 milhões, com 267 negócios e crescimento de  10,8%. No mês de julho/18, foram 33 operações.
 A maior queda foi constatada no volume de transações de porte maior do que R$ 500 milhões e menor do que um bilhão de reais, com redução de 14,8% no acumulado do ano.
  Os setores de TI, OUTROS e HOSPITAIS E LABS. DE ANÁLISES CLINICAS foram os mais ativos nos primeiros sete meses. E os que mais cresceram foram: OUTROS e EDUCAÇÃO
  O maior apetite no mês ficou por conta dos investidores Estratégicos  com 45 operações.
  Os Financeiros realizaram 15 operações no mês.
  Os investidores de Capital Nacional foram responsáveis por 37 operações no mês. No acumulado do ano, 294 operações - crescimento de 2,4%.
  Os investidores de Capital Estrangeiro realizaram no mês 23 operações. No acumulado do ano foram 155 operações, queda de 4,9%
   Por país, os EUA, com 10 operações,  foi o de maior apetite estrangeiro no mês de julho/18. No acumulado do ano os EUA também lideraram com 57 transações.
   Maior transação do mês  de julho/18 , foi a Embraer e Boeing anunciando a criação de empresa de capital fechado - O acordo avalia negócio em US$ 4,75 bilhões.  05/07/2018

NOTA: Foram feitas correções no relatório do mês de junho/18: (i) reenquadramento de uma transação de  Hospitais e Lab. De Analises Clínicas Saúde  para Alimentos, Bebidas e Fumo; e (ii) alteração do valor e realocação do porte da respectiva operação.

Operações de Fusões e Aquisições divulgadas com destaque pela imprensa brasileira no decorrer do mês de JULHO de 2018.

ANÁLISE DO MÊS

Setores mais ativos - Os 5 setores mais ativos responderam por 58,3% do total das operações e 25,6% do valor total dos investimentos.




Queda de 17,8% do número de operações  em relação ao mês anterior. Foram divulgadas com destaque pela imprensa neste mês 60 transações em 20 setores da economia brasileira, registrando uma queda de 17,8% em relação ao mês anterior ( 73 operações). No confronto com o mesmo mês do ano anterior,  constata-se uma redução de  3,2%, quando foram apuradas 62 negócios.



Evolução nos últimos 5 anos  - No acumulado dos primeiros sete meses de 2018, apuradas 449 operações,  registra-se uma ligeira queda de 0,2% se confrontado com igual período de 2017,  quando foram realizadas 450 operações.


Maiores apetites x maiores quedas.  Setores mais representativos. No gráfico dos setores mais ativos nos primeiros sete meses do ano de 2018, além de TI, destacam-se OUTROS e HOSPITAIS E LAB. DE ANÁLISES CLINICAS.


No acumulado do ano, o segmento com maior crescimento no número de transações em relação o mesmo período do ano passado foi  OUTROS, com um aumento de 24 operações, seguidos por  EDUCAÇÃO e HOTÉIS E RESTAURANTES.


Os setores que apresentaram maiores quedas no nº de transações no acumulado do ano, em relação ao mesmo período de 2017, foram COMPANHIAS ENERGÉTICAS - redução de 25 operações; TELECOMUNICAÇÕES E MÍDIA e TI.

O acumulado do volume de transações dos últimos doze meses se mantém estável. O mês sinaliza uma queda de 0,2% do número de transações de M&A acumuladas nos últimos doze meses - julho de 2018, com  855 operações, comparativamente com o mesmo período do mês  anterior. Já em relação ao mesmo período acumulado do ano anterior - julho/17 - verifica-se um crescimento de 3,4%.
No gráfico do acumulado dos 12 meses, pode-se inferir ciclos distintos de crescimento e queda do número de transações. Destaca prováveis fatores que mais estão repercutindo nas expectativas de investimentos e, no detalhe, a evolução da série histórica da taxa de câmbio no mesmo período.


Porte - 55,0% das transações no mês são de porte até R$ 50 milhões - Das 60 transações apuradas no mês,  33   são de porte até R$ 49,9 milhões -  55,0% do total e responderam por 2,3% do seu valor. No acumulado do ano de 2018, para este mesmo porte de operações, registraram-se 267 transações representando 59,5% do total  e 2,1% do valor. Crescimento de 10,8% .


NOTA: Foram feitas correções no relatório do mês de junho/18: (i) reenquadramento de uma transação de  Hospitais e Lab. De Analises Clínicas Saúde  para Alimentos, Bebidas e Fumo; e (ii) alteração do valor e realocação do porte da respectiva operação.

Maior desempenho - O maior crescimento do número de transações ocorreu  nas de  porte  até  R$ 49,9 milhões -  267  negócios nos primeiros sete meses do ano, com crescimento de 10,8%. No mês de julho/18, foram 33 operações, que representaram 55,0% dos  negócios  e 2,3% dos investimentos.

A maior queda foi constatada no volume de transações de porte maior do que R$ 500 milhões e menor do que um bilhão de reais.  Neste intervalo, a redução foi de 14,8% no acumulado do ano, comparativamente com o mesmo período do ano passado.

No topo da pirâmide foram apuradas 29 transações no ano, com porte acima de R$ 1,0 bilhão, representando 6,5% do número de operações e responderam por  74,4%   do valor das transações.




Expressivo crescimento de 29,1% do montante dos investimentos no acumulado dos primeiros sete meses de 2018.  Quanto aos montantes dos negócios realizados, estima-se o total de R$  166,0 bilhões, representando um aumento de  29,1%  em relação ao mesmo período de 2017 - considerando Valores Divulgados ( 67,3%)  e Não Divulgados/Estimados (32,7%).
O maior crescimento dos investimentos ocorreu nos negócios acima de R$ 1,0 bilhão - 53,9%



NOTA: Foram feitas correções no relatório do mês de junho/18: (i) reenquadramento de uma transação de  Hospitais e Lab. De Analises Clínicas Saúde  para Alimentos, Bebidas e Fumo; e (ii) alteração do valor e realocação do porte da respectiva operação.

Em julho de 2018,  o valor dos investimentos alcançou  R$ 24,7 bilhões, representando queda de 19,3%  em relação ao mês anterior, e redução de 27,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior.




Valor médio das transações acumuladas no ano registrou crescimento de 29,4% em relação ao mesmo período do ano passado. O valor médio das transações realizadas no acumulado do ano alcançou R$ 369,8 milhões, contra R$ 285,7 milhões no mesmo período de 2017, representando um crescimento de  29,4%.  O maior crescimento ficou por conta das transações de porte superior a R$ 1,0 bilhão.


Investidores estratégicos predominam no volume e montante das operações - O maior apetite neste mês ficou por conta dos investidores Estratégicos  com 45 operações (75,0%), e responderam por 92,8%  dos montantes investidos.
No acumulado dos primeiros sete meses do ano, os estratégicos, com  323 operações - crescimento de 0,3% - responderam por 71,9% dos negócios e 77,6%   dos investimentos.



Os Financeiros realizaram 15 operações no mês de junho, no montante  R$ 1,8 bilhão. No acumulado do ano os investidores financeiros alcançaram  126 operações - queda de 1,7% - correspondendo a 28,1% dos negócios e 22,4%  dos investimentos.



Investidores Nacionais com maior apetite nos primeiros sete meses do ano  no volume de transações . Os investidores de Capital Nacional foram responsáveis por 37 operações - 61,7%, no mês e por 11,8% dos investimentos.
No acumulado do ano, os investidores nacionais foram responsáveis por 294 operações - crescimento de 2,4% - e  responderam por 65,5% - e investimento da ordem de R$ 80,5 bilhões, o equivalente a 48,5% do total.

Investidores Estrangeiros responderam nos primeiros sete meses do ano por 34,5%  do montante das transações. Os investidores de Capital Estrangeiro realizaram no mês, 23 operações no montante de R$  21,8 bilhões. No acumulado do ano, os Estrangeiro investiram cerca de R$ 85,5 bilhões (51,5%) com crescimento de 36,1%, em 155 operações, representando uma queda de 4,9%  (34,5%).


NOTA: Foram feitas correções no relatório do mês de junho/18: (i) reenquadramento de uma transação de  Hospitais e Lab. De Analises Clínicas Saúde  para Alimentos, Bebidas e Fumo; e (ii) alteração do valor e realocação do porte da respectiva operação.

Por país, os EUA, com 10 operações,  foi o de maior apetite estrangeiro no mês de julho/18. Nos primeiros sete meses  os EUA também lideraram com 57 transações.

Maior transação do mês  de julho/18 , foi a Embraer e Boeing anunciando a criação de empresa de capital fechado - A Embraer anunciou a assinatura do memorando de entendimentos com a americana Boeing que estabelece as premissas básicas para a criação de uma empresa que receberá a parte de aviões comerciais da companhia brasileira.O acordo prevê a criação de uma empresa de capital fechado, com sede no Brasil. Acordo avalia negócio em US$ 4,75 bi; americana vai desembolsar US$ 3,8 bi para ter 80% da empresa resultante da transação. 05/07/2018

SUMÁRIO DOS DESTAQUES DO MÊS - FUSÕES E AQUISIÇÕES
A ordem da relação das transações de Fusões e Aquisições segue a data em que foram divulgadas pela imprensa e/ou  postadas no blog fusoesaquisicoes.blogspot.com. onde  podem ser localizadas.

DESTAQUES DO MÊS ANTERIOR


M&A - QUEM, O QUÊ, QUANDO, QUANTO, COMO e POR QUÊ
 A pesquisa FUSÕES E AQUISIÇÕES - DESTAQUES DO MÊS tem o propósito de captar o “clima” do mercado das operações de Fusões e Aquisições bem como sinalizar suas principais tendências. Trata-se da compilação de notícias visando tornar mais acessíveis e conhecidos os negócios de fusão, aquisição e venda anunciados/realizados entre empresas com atuação no Brasil. Todas as informações sobre os negócios citados no presente relatório são obtidas a partir de notícias consideradas confiáveis publicadas pela imprensa e divulgadas no “estado" pelo blog FUSOESAQUISICOES.BLOGSPOT http://fusoesaquisicoes.blogspot.com.br , não sendo feita qualquer verificação quanto à sua veracidade, precisão ou integridade do conteúdo. Operações divulgadas em relatórios anteriores podem sofrer alterações, por conta de cancelamentos, renegociações, atualizações,  etc. Sempre que possível, serão mencionados os nomes dos compradores – investidor estratégico ou fundos de private equity, dos vendedores, a tese de investimento e principais “value drivers”, o valor da transação, forma de pagamento, múltiplos praticados (Valor da Empresa/EBITDA, Valor da Empresa/Receita) etc. Muitas vezes a notícia não é clara a respeito dos valores/forma de pagamentos e respectivos múltiplos. É bem-vinda toda e qualquer contribuição para tornar as informações mais precisas e transparentes.

06 agosto 2018



0 comentários: