13 agosto 2017

TI - RADAR de Fusões e Aquisições, em julho/2017

O volume de fusões e aquisições de empresas de Tecnologia da Informação – TI e Telecom,  nos primeiros sete meses do ano de  2017,  atinge o maior nível dos últimos anos, mesmo registrando queda no mês de julho.  O número de transações no Brasil, no acumulado do ano, alcançou o total de 156,  com um crescimento de 20,9% sobre igual período do ano anterior. Em relação  ao valor dos negócios, verificou-se uma queda de 29,0%, com o montante de  R$ 6,6 bilhões.
No mês de julho/17 foram realizadas 19 transações,  representando uma reducão de 34,5% em relação a julho/16. Os segmentos de maior volume de operações foram os de SOFTWARE  e  SERVIÇOS DE TI. No acumulado do ano o maior apetite é por SOFTWARE e MÍDIA.
Quanto ao racional do investimento as operações direcionadas à Escala predominaram.
Transações envolvendo empresas de pequeno e médio portes foram em maior volume.
Em julho, os investidores estratégicos foram  mais ativos em volume, como também os de capital estrangeiro.
No acumulado do ano,  os Investidores Financeiro e os Estratégico realizaram o mesmo número de operações, 78.   Os Investidores estrangeiros responderam, nesse mesmo período,  por 60,5%, com montante estimado em R$ 4,0 bilhões, enquanto os Nacionais foram responsáveis por 39,5%, com um valor de R$ 2,6 bilhões.
Em  julho/17, quatro países de origem distinta foram responsáveis por 8 operações. No acumulado do ano, foram 45 operações com investidores estrangeiros. Os EUA foram responsáveis por cerca de 33,3 % desses negócios.
O Indicador de Volume de Transações de M&A do mês sinaliza um crescimento contínuo desde o início do ano.
A maior transação no mês de julho/17, foi o a Telefônica Brasil por intermédio da sua subsidiária Telefônica Data (TData) adquirindo a  Terra Networks Brasil S.A., pertencentes à SP Telecomunicações Participações S.A., por R$ 250 milhões.

Operações de Fusões e Aquisições de Tecnologia da Informação – TI e Telecom, noticiadas com destaque na imprensa brasileira ao longo do mês corrente As informações deste relatório, elaborado pelo Blog FUSÕES & AQUISIÇÕES (http://fusoesaquisicoes.blogspot.com.br) estão apresentadas em blocos, detalhando as transações por Volumes e Valores, Segmentos, Racional do Investimento, Porte das empresas, Perfil do Investidor, Destaques do mês, etc.

ANÁLISE DO MÊS

Principais constatações.

No acumulado dos primeiros sete meses de 2017, com 156 transações, verificou-se um crescimento de 20,9% comparativamente ao mesmo período de 2016. No mês de julho/17, foram realizadas 19 transações,  representando uma queda de 34,5%  em relação a julho do ano passado (29 operações)  e uma redução de 29,6%  em relação ao mês imediatamente anterior (27 transações).


No fluxo de transações realizadas, verifica-se uma nova queda..


O objetivo do Indicador de Volume de Transações de M&A é sinalizar uma expectativa de tendência, com base na análise do verificado nos períodos semestrais móveis. O período móvel findo em julho/17, mantêm a tendência de crescimento iniciada em março/17.


Os segmentos de maior volume de operações em jun/17, foram os de SOFTWARE  e SERVIÇOS DE TI.

Na classificação entre os Segmentos de TI no mês de julho, os subsegmentos de Finanças, Comunicações, Educação, Saúde, Energia e Meio ambiente, Setor público.. Recursos Humanos.. (Verticais App) de SOFTWARE  foram os mais ativo. No acumulado dos primeiros sete meses do ano, SOFTWARE  vem liderando o número de transações, seguido por MÍDIA.


O montante de transações no acumulado de 2017, alcançou   R$ 6,6 bilhões, representando uma queda de  29,0% sobre igual período do ano anterior. No mês de julho, o total das transações, incluindo as operações que divulgaram os valores (60,0%) e as não divulgadas (estimados) 40,0%, alcançaram cerca de R$  R$ 655 milhões, representando um crescimento  de 28,5%  em relação ao mês de julho/16.

Comparando-se o número de transações do acumulado dos primeiros sete meses do ano, por segmentos, compiladas nos últimos três anos,  verifica-se  o significativo crescimento dos segmentos de SOFTWARE e de MÍDIA. De outro lado, queda do segmento de  Serviços de TI.


RACIONAL DO INVESTIMENTO
A intenção é distinguir as transações de M&A na área de TI, Telecom e Mídia, em função da Tese de Investimento, ou seja, os conceitos que prevaleceram para a aquisição da empresa-alvo. Na maior parte das vezes a notícia não é muito clara a respeito dos direcionadores de valor que levaram à aquisição. Mesmo assim, procurou-se identificar as premissas sobre o Racional da transação para segregar em 4 grandes grupos, de modo a permitir o entendimento das principais vetores que estão orientando os investidores estratégicos e financeiros.
No acumulado do ano, as operações com o racional do investimento direcionado para Escala prevaleceram - voltadas para ampliar a participação de mercado em alguns segmentos ou geografias.

(1) Aumentar a atual capacidade ou faturamento; penetrar em novos mercados geográficos
(2) Aumentar ofertas de novos produtos e serviços – expansão/ complemento do mix, ampliar competências
(3)Aumentar market-share, aproveitar sinergias e economias de escala, geralmente entre duas companhias com negócios similares
(4) Empresa brasileira adquire empresa de capital estrangeiro – acesso a mercados globais seja no âmbito do escopo, seja de escala;

PORTE DAS EMPRESAS
O objetivo é proporcionar uma visão das transações classificadas em função do porte das empresas. Utilizou-se o critério adotado pelo BNDES e aplicável a todos os setores para a classificação do porte em função da Receita Bruta anual (informada ou estimada).
Em relação ao porte, os investidores deram preferência para empresas de pequeno e médios portes no presente mês.

 • Microempresa <= R$ 2,4 milhões
 • Pequena empresa > R$ 2,4 milhões e <= R$ 16 milhões
 • Média empresa > R$ 16 milhões e <= R$ 90 milhões
 • Média-grande empresa > R$ 90 milhões e <= R$ 300 milhões
 • Grande empresa > R$ 300 milhões

PERFIL DO INVESTIDOR
Em relação ao perfil do investidor das 19 operações destacadas, os Investidores Estratégicos foram responsáveis por 18 negócios em jul/17. Desse volume, 10 operações foram realizadas por empresas de capital nacional e 8 de capital estrangeiro. Os investidores financeiros,  representados por Fundos de Investimentos realizaram  um negócio, de capital nacional.
No acumulado dos primeiros sete meses do ano,  tanto o Investidor Financeiro com o Estrangeiro alcançaram o mesmo número de transações - 78.
Já no que tange ao montante das transações no mês, os Investidores Nacionais foram responsáveis por 39,4% dos investimentos enquanto os Estrangeiros ficaram com 60,6%. No acumulado do ano,  os Investidores estrangeiros responderam por 60,5%, com montante estimado em R$4,0 bilhões, enquanto os Nacionais foram responsáveis por 39,5%, com um valor de R$ 2,6 bilhões.
(1) Empresa adquire outra empresa (controladora ou não) relevante do ponto de vista estratégico, a fim de ter acesso a tecnologia, produto ou serviço.
(2) Fundo de Investimento Private Equity; Venture Capital, Angel;
(3) Empresa de capital nacional adquirindo participação em empresa brasileira (controladora ou não).
(4) Fundo de Investimento de capital estrangeiro adquirindo participação em empresa brasileira (controlador ou não).

VALOR MÉDIO
O valor médio das transações nos primeiros sete meses de 2017, por Segmento de TI,  foi de R$ 42,0 milhões, representando uma queda de  2,4%  em relação ao mesmo período do ano passado.

NACIONALIDADE DOS INVESTIDORES
Em relação à nacionalidade das empresas que estão investindo no Brasil no mês de julho/17, foram registrados 8 operações de 4 países de origem. No acumulado do ano, foram 45 operações com investidores estrangeiros. Os EUA foram responsáveis por cerca de 33,3 % dos negócios.


MAIOR TRANSAÇÃO DIVULGADA NO MÊS
A maior transação no mês de julho/17, foi  a Telefônica Brasil por intermédio da sua subsidiária integral Telefônica Data (TData) adquiriu a totalidade das ações do capital da Terra Networks Brasil S.A., pertencentes à SP Telecomunicações Participações S.A., por R$ 250 milhões. A Terra Networks é prestadora de serviços digitais (serviços de valor adicionado (SVA) próprios e de terceiros e carrier billing, bem como canais mobile para vendas e relacionamento) e publicidade. 03/07/2017

RELAÇÃO DAS TRANSAÇÕES
A relação das transações de Fusões e Aquisições na área de TI, segue a data em que foram divulgadas pela imprensa e compiladas pelo blog fusoesaquisicoes.blogspot.com. Todas podem ser pesquisadas e localizadas no blog.

RELATÓRIO ANTERIOR: TI - RADAR de Fusões e Aquisições, em junho/2017

M&A - QUEM, O QUÊ, QUANDO, QUANTO, COMO e POR QUÊ
 O RADAR de M&A em TI tem o propósito de captar o “clima” do mercado das operações de Fusões e Aquisições, no setor de serviços de Tecnologia da Informação e Comunicação, bem como sinalizar suas principais tendências. Trata-se da compilação mensal das notícias visando tornar mais acessíveis e conhecidos os negócios de fusão, aquisição e venda anunciados/realizados entre empresas com atuação no Brasil. Todas as informações sobre os negócios citados no presente relatório são obtidas a partir de notícias consideradas confiáveis publicadas pela imprensa e divulgadas no “estado" pelo blog FUSOESAQUISICOES.BLOGSPOT http://fusoesaquisicoes.blogspot.com.br , não sendo feita qualquer verificação quanto à sua veracidade, precisão ou integridade do conteúdo. Sempre que possível, serão mencionados os nomes dos compradores – investidor estratégico ou fundos de private equity, dos vendedores, a tese de investimento e principais “value drivers”, o valor da transação, forma de pagamento, múltiplos praticados (Valor da Empresa/EBITDA, Valor da Empresa/Receita) etc. Muitas vezes a notícia não é clara a respeito dos valores/forma de pagamentos e respectivos múltiplos. É bem-vinda toda e qualquer contribuição para tornar as informações mais precisas e transparentes.

13 agosto 2017



0 comentários: