20 outubro 2014

INVISTA vende fábrica de nylon para NILIT

A NILIT, fabricante de nylon 6,6 para  termoplásticos e confecção de vestuário, anunciou hoje que assinou um contrato para adquirir a unidade de manufatura da INVISTA em Americana, com a intenção de continuar as operações de nylon 6.6. As  partes preveem que a transação será concluída no quarto trimestre de 2014, dependendo das aprovações regulamentares necessárias. As condições da transação não foram divulgadas publicamente já que ambas, NILIT e INVISTA, são empresas privadas.

"Quero agradecer a todos os funcionários da INVISTA de Americana por toda a sua dedicação durante esse  processo. Acreditamos que as  operações da fábrica de nylon 6.6 de Americana irão enriquecer a presença da produção global da NILIT, e  desejamos-lhes sucesso, já que o site de Americana abre um novo capítulo em sua história." disse Dave Trerotola, Presidente da INVISTA Apparel & Advanced Textiles.

Para Zion Ginat, diretor geral do Grupo NILIT  “Os bens valiosos da unidade de Americana irão permitir que a NILIT aumente o valor que oferecemos aos nossos clientes. Com esta aquisição, reforçamos significativamente o compromisso da NILIT com o mercado brasileiro, o que nos permite expandir as vendas para outros clientes, especialmente nos segmentos de confecção de malharia circular e warp knitting, tirando proveito de uma planta muito eficiente, bem conservada e altamente estabelecida. A presença da produção  local garantirá uma rápida penetração no mercado, o que irá permitir expansões adicionais em potencial. Estamos ansiosos em trabalhar com a mão-de-obra local". Leia mais em novomomento 16/10/2014



20 outubro 2014



FUSÕES E AQUISIÇÕES - DESTAQUES DA SEMANA DE 13 a 19/out/14

Anunciadas com destaque pela imprensa 12 operações de Fusões e Aquisições no decorrer da semana de 13 a 19/out/14.  Envolvem direta ou indiretamente empresas brasileiras de 7 setores.

ANÁLISE DA SEMANA

Principais transações.


Destaque para a transação em que  Eike entrega controle da OGX a credores e 'quita' dívida de R$ 13,8 bilhões. A assembleia geral da OGPar, antiga OGX, aprovou converter em ações os R$ 13,8 bilhões de dívidas da petroleira criada por Eike Batista.

 TOPs - MAIORES TRANSAÇÕES EM VALOR

A MAIOR

  • Eike entrega controle da OGX a credores e 'quita' dívida de R$ 13,8 bilhões. A assembleia geral da OGPar, antiga OGX, aprovou converter em ações os R$ 13,8 bilhões de dívidas da petroleira criada por Eike Batista. A empresa emitiu 86.255.986 novas ações ordinárias (que dão direito a voto), ao preço de R$ 160 cada. Isso "equivale" aos R$ 13,8 bilhões das dívidas. Essas ações serão distribuídas entre os credores, proporcionalmente ao que eles têm direito a receber. 17/10/2014

NEGÓCIOS DA SEMANA 
"Market Movers" - Brasil

  • Linx compra Big Sistemas por até R$ 38,7 milhões. A companhia brasileira de tecnologia para o varejo Linx anunciou a compra da Big Automação e da BigFarma Sistemas, conjuntamente chamadas de Big Sistemas. O valor da operação será de até R$ 38,7 milhões. As atividades das empresas adquiridas compreendem o desenvolvimento e comercialização de softwares de gestão e automação de farmácias.13/10/2014
  • Delivery Hero compra brasileira Subdelivery. A Delivery Hero, startup alemã que está avaliada em mais de US$ 1 bilhão, comprou mais uma empresa brasileira do segmento de entrega de comida, a Subdelivery. Em junho, a Delivery Hero anunciou a aquisição do PedidosJá, que atua na América Latina, uma das regiões onde a empresa alemã tem concentrado sua expansão.14/10/2014
"Market Movers” - Exterior

  • Unidade da GE compra empresa de leasing de helicópteros. Milestone, cofundada pelo fundador da NetJets Richard Santulli em 2010, detém uma frota de helicópteros avaliada em 2,8 bilhões de dólares. A unidade da General Electric encarregada de leasing de aeronaves afirmou nesta segunda - feira que comprará a irlandesa Milestone Aviation por 1,78 bilhão de dólares.13/10/2014
  • ADM compra Specialty Commodities por US$ 170 milhões. A gigante do agronegócio Archer Daniels Midland (ADM) anunciou nesta segunda-feira (13/10) a aquisição da companhia de ingredientes Specialty Commodities, por US$ 170 milhões. A empresa compra e distribui ingredientes naturais e orgânicos como castanhas, frutas, sementes, legumes e grãos especiais para uma grande variedade de clientes, como fabricantes de cereais e barras nutritivas.14/10/2014
  • Qualcomm adquire fabricante de chips britânica por US$ 2,5 bilhões. A Qualcomm, fabricante de chipsets para dispositivos móveis, anunciou nesta quarta-feira, 15, a compra da fabricante de chips britânica CSR por cerca de US$ 2,5 bilhões. A aquisição da empresa, pioneira na tecnologia sem fio Bluetooth, faz parte da estratégia da Qualcomm para ingressar no mercado de "internet das coisas" (IoT, na sigla em inglês), conceito que abrange a conexão de dispositivos domésticos à web, como máquinas de lavar e geladeiras, bem como de automóveis e outros aparelhos sem fio, para que possam se comunicar automaticamente com o outro.15/10/2014
 HUMORES & RUMORES 
 M & A - COMPRA

  • Linx compra Big Sistemas e avalia novas aquisições. A Linx, empresa brasileira de softwares de gestão para o varejo, anunciou a aquisição da Big Sistemas,  especializada em softwares de gestão e automação para o segmento de farmácias. Essa é a segunda compra realizada pela Linx no ano e, segundo Dennis Herzskowicz, diretor financeiro da Linx, a meta é fechar outros acordos similares no curto prazo. 14/10/2014
  • Ultra planeja aquisições para o Extrafarma. O grupo Ultra, dono do Ipiranga, trabalha neste último trimestre para aprovar o plano de expansão da Extrafarma para 2015, afirmou presidente Thilo Mannhardt. Manhardt reforçou que a expansão inclui inauguração de novas lojas e aquisições. O Ultra entrou no varejo farmacêutico há cerca de um ano com a aquisição da Extrafarma, que tem presença, sobretudo, em estados da região Norte. Mannhardt afirmou que a companhia contempla a expansão da marca para as regiões do Sul e Sudeste.14/10/2014
  • Redes de farmácia planejam expansão.  As redes de varejo farmacêutico planejam expandir em 2015, por crescimento orgânico ou aquisições. Grandes grupos, como DPSP (Drogaria São Paulo-Pacheco) e a RaiaDrogasil, por exemplo, concentrados no Sul e Sudeste, querem avançar para as regiões Norte e Nordeste. Já a Pague Menos, com sede no Ceará, quer crescer no Sudeste. 15/10/2014
  • Insumos e grãos devem puxar fusões e aquisições, diz Rabobank. Impulsionadas pelos segmentos de insumos agrícolas, grãos e logística, as transações de fusões e aquisições no agronegócio brasileiro tendem a ganhar fôlego nos próximos meses, conforme o banco holandês Rabobank. A instituição tem em carteira 13 operações dessa natureza em andamento, que deverão ser concluídas entre o quatro trimestre deste ano e 2015.   O segmento de grãos e logística para grãos domina a pauta do Rabobank no Brasil, com 40% da carteira do banco. As operações de fusões e aquisições envolvendo empresas de insumos representam 30% dos negócios em trâmite na instituição no momento. A área de açúcar e etanol tem 20% da carteira e a de proteína e lácteos, 10%. "Até agora, foi anunciada uma operação. Até o fim deste ano, serão mais três ou quatro”. Além de envolverem diversos segmentos, as operações em carteira no Rabobank têm tamanhos diferentes. "Seus valores individuais variam de R$ 150 milhões a R$ 5 bilhões", detalha Rodolfo Hirsch, um dos especialistas desse departamento no banco.15/10/2014

M&A - VENDA

  • Empresas correm contra o relógio para fugir da crise. Entre 2010 e 2011, os empresários estavam animados com a economia brasileira, que passou ao largo da crise de 2008. Muitas empresas tomaram dívida para expansão, investimento de capacidade e tecnologia. Em 2012, o cenário macroeconômico começou a mudar e, desde o ano passado, a crise levou muitas companhias a tentar renegociar dívidas", diz Marcelo Gomes, diretor da consultoria Alvarez & Marsal, que tem em sua carteira empresas de médio e grande portes já na UTI. O que se vê neste ano é que várias empresas, de diversos setores, estão passando por dificuldades. Dados recentes da Serasa Experian já refletem esse cenário: os pedidos de recuperação judicial de empresas subiram 20% em setembro, na comparação com 2013, assim como os pedidos de falência, que tiveram alta de 16% nesse período.13/10/2014

IPO

  • Conselho da Brookfield emite parecer favorável a OPA e saída do Novo Mercado. O Conselho da Brookfield Incorporações emitiu nesta sexta-feira parecer favorável à realização de oferta pública para aquisição de até a totalidade das ações de emissão da companhia por sua controladora Brookfield Participações e a saída da empresa do Novo Mercado. 10/10/2014
  • 'Efeito Aécio' dá novo impulso a IPOs. Companhias que têm planos de fazer ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) estão com o dedo no gatilho para lançar suas operações, à espera de um possível “efeito Aécio” na bolsa. Nesta semana, duas empresas – a Par Corretora de Seguros e a Ouro Verde – protocolaram na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pedidos de registro para fazer suas ofertas iniciais. Outras cogitam retomar as operações, casos da JBS Foods e da companhia de torres de celular T4U, apurou o Valor. A expectativa é que a aérea Azul faça o mesmo. São, em geral, companhias que já vêm sondando o mercado e esperam o momento mais adequado para lançar suas operações. 16/10/2014
  • IPO da Ouro Fino sai no topo da faixa, movimenta R$418 mi. A Ouro Fino Saúde Animal garantiu nesta sexta-feira a primeira estreia de uma empresa brasileira na Bovespa em 2014, ao precificar sua oferta de ações no topo da faixa estimada, resultado surpreendente diante de mercado bastante volátil. A empresa vendeu 15,46 milhões de ações a 27 reais cada, operação que movimentou cerca de 418 milhões de reais, liderada por JP Morgan, Itaú BBA, Bradesco BBI e BB Investimentos. 17/10/2014

PRIVATE EQUITY & VENTURE CAPITAL

  • Empresas em crise são alvo de fundos de investimento. Empresas em crise são um filão para fundos especializados em investimentos de altíssimo risco. No Brasil, instituições financeiras como Opus, Jive, Blackwood e o banco Brasil Plural são alguns dos gestores que têm visto oportunidade em negócios provenientes de massas falidas. Segundo Muniz, o baixo crescimento da economia minou a confiança do empresariado de modo geral. Muitas empresas estão com baixas margens operacionais. 13/10/2014
  • Ciclo de negociação dos private equity está mais longo. Os ciclos de negociação dos fundos que investem em participações de companhias no Brasil, os private equity, estão mais longos, com o nível de detalhamento cada vez mais profundo e as análises mais demoradas. O aumento da volatilidade dos mercados e a falta de clareza sobre o ritmo de recuperação da economia brasileira no próximo ano têm prolongado o processo de tomada de decisão para o investimento. A expectativa daqueles que estão na ponta compradora é de que os preços das companhias possam estar mais baixos no médio prazo. O diretor do BBI caracteriza as negociações hoje como muito mais duras, demandando um esforço maior para a concretização. Algumas operações, conta, tiveram um prazo de negociação superior a um ano. "As transações têm demandado uma carga maior de dedicação", diz. Segundo o executivo, nota-se que alguns players estão preferindo ganhar tempo para terem maior clareza sobre 2015. "A visão global é de que o Brasil passará por ajustes nos próximos dois a três anos, mas se um fundo tem uma boa oportunidade de investimentos ele pegará toda a retomada da economia", 13/10/2104

RELAÇÃO DAS TRANSAÇÕES

  • 01 - Linx compra Big Sistemas por até R$ 38,7 milhões. A companhia brasileira de tecnologia para o varejo Linx anunciou a compra da Big Automação e da BigFarma Sistemas, conjuntamente chamadas de Big Sistemas. O valor da operação será de até R$ 38,7 milhões. As atividades das empresas adquiridas compreendem o desenvolvimento e comercialização de softwares de gestão e automação de farmácias, com foco em redes de pequeno e médio porte. O faturamento bruto da Big Sistemas nos últimos 12 meses foi de R$ 13,4 milhões.13/10/2014
  • 02 -Cade aprova operação entre Brasi Plural e BES. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a cessão onerosa da gestão de recursos de terceiros executada pela Espírito Santo Serviços Financeiros DTVM (ESSF) à Brasil Plural Gestão de Recursos (Brasil Plural Gestão) e à Brasil Plural Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários (Brasil Plural CCTVM). A ESSF, uma subsidiária integral do BES Investimento do Brasil S.A. - Banco de Investimento, atua no mercado de distribuição de títulos e valores mobiliários, desenvolvendo também atividades de gestão de carteiras de fundos de investimento e serviços de consultoria voltados para clientes dos segmentos de private e wealth management. A Brasil Plural Gestão, por sua vez, é uma sociedade credenciada para prestar serviço de administração de carteiras, e a Brasil Plural CCTVM é uma corretora de valores mobiliários. Para o Grupo Brasil Plural, "a concretização da operação e o recebimento dos ativos intangíveis possuem cunho estratégico e econômico, sendo uma boa oportunidade de expansão de sua carteira de clientes e serviços, especialmente associados à gestão de ativos".13/10/2014 
  • 03 - Delivery Hero compra brasileira Subdelivery. A Delivery Hero, startup alemã que está avaliada em mais de US$ 1 bilhão, comprou mais uma empresa brasileira do segmento de entrega de comida, a Subdelivery. O valor do negócio não foi revelado. O maior feito da Subdelivery é que ela mantém um contrato de exclusividade na distribuição de alimentos para a rede de sanduíches Subway. Em junho, a Delivery Hero anunciou a aquisição do PedidosJá, que atua na América Latina, uma das regiões onde a empresa alemã tem concentrado sua expansão.14/10/2014
  • 04 - Alupar adquire participação de Furnas em Complexo Eólico Aracati. A Alupar Investimentos adquiriu a participação de Furnas no Complexo Eólico Aracati, no Ceará, composto por cinco centrais eólicas reunidas em áreas próximas. O valor da operação ficou em pouco mais de R$ 45 milhões, deixando a Alupar com 99,99% das ações do parque eólico, em que já detinha 50,99% de participação antes do novo acordo.13/10/2014
  • 05 - InVivo compra Total Alimentos. A multinacional InVivo NSA, divisão agrícola do grupo francês InVivo com receita de quase 4 bilhões de reais, assinou  um acordo para adquirir a mineira Total Alimentos, terceira maior empresa de ração para animais no mercado brasileiro com faturamento de cerca de 500 milhões de reais. Segundo EXAME apurou, o valor estimado da operação é de cerca de 300 milhões de reais.15/10/2014
  • 06 - Opersan fecha nova compra em efluentes. A NovaOpersan, empresa de tratamento de águas e efluentes para clientes corporativos criada pela P2 Brasil (do banco Pátria e da Promon Engenharia), está nas etapas finais do processo de aquisição da White Martins Soluções Ambientais (WMSA). A empresaadquirida faz projetos, instalação, operação, controle e administração deestações de tratamento de água e efluentes. É subsidiária da White MartinsGases Industriais, controlada pelo grupo americano Praxair, que faturouglobalmente US$ 11,9 bilhões no ano passado. O valorda transação não foi divulgado e, procurada, a Nova Opersan disse que não comentao assunto. No fim do ano passado, a companhia tinha R$ 400 milhões para investir.  02/07/2014
  • 07 - Eike entrega controle da OGX a credores e 'quita' dívida de R$ 13,8 bilhões. A assembleia geral da OGPar, antiga OGX, aprovou converter em ações os R$ 13,8 bilhões de dívidas da petroleira criada por Eike Batista. Isso representa tudo o que a empresa devia antes de pedir recuperação judicial (antiga concordata), e estava previsto no plano de recuperação judicial. A empresa emitiu 86.255.986 novas ações ordinárias (que dão direito a voto), ao preço de R$ 160 cada. Isso "equivale" aos R$ 13,8 bilhões das dívidas. Essas ações serão distribuídas entre os credores, proporcionalmente ao que eles têm direito a receber. Isso inclui apenas os credores que aceitaram participar da reestruturação da dívida da empresa, ou seja, aceitaram converter os valores que têm a receber em ações da OGPar. Isso inclui credores internacionais, fornecedores e o estaleiro OSX, que também pertencia ao grupo EBX, de Eike. Com a mudança, esses credores agora passam a deter 71,43% da nova OGX. A parte restante fica dividida quase igualmente entre Eike e os acionistas minoritários. Com isso, não há mais um acionista controlador. 17/10/2014
  • 08 - Empresa de mobilidade, GPS e big data recebe investimento para inovar no agronegócio. A Strider, startup de inovações tecnológicas para o agronegócio sediada em Belo Horizonte/MG, recebeu um aporte de R$ 5 milhões da Barn Investimentos e lança no mercado uma tecnologia inovadora para o monitoramento e controle de pragas. A ferramenta, que combina localização por GPS, mobilidade e big-data, auxilia o produtor rural na tomada de decisões para proteger suas plantações contra a infestação de pragas a partir do uso controlado de agrotóxicos, resultando na redução dos custos de produção.15/10/2014
  • 09 - Laboratórios CDB e Alliar assinam acordo para fusão de operações. Dois dos maiores centros de medicina diagnóstica do país, o CDB (Centro de Diagnósticos Brasil) e o Alliar, acabam de assinar um acordo para a fusão das operações das duas companhias. As empresas confirmam o negócio, mas não divulgam valores envolvidos. Com mais de 30 unidades de atendimento, a Alliar, uma empresa do Pátria Investimentos, desenvolveu nos últimos anos um forte plano de expansão orgânica e por meio de aquisições, embasado na experiência do Pátria na área de medicina diagnóstica.17/10/2014
  • 10 - Integral e KeepIT anunciam fusão. A Integral, de Joinville, e a KeepIT, de Blumenau, anunciaram uma fusão das duas empresas na sexta-feira, 10. Não foram revelados valores, ou participações acionárias na nova empresa, que terá uma nova marca a ser anunciada.  De acordo com as companhias, a fusão cria uma líder de mercado entre as parceiras Microsoft no Sul do país. As duas empresas não divulgam faturamento, mas tem um tamanho similar quando o assunto é funcionários (a KeepIT tem 42 colaboradores e a Integral, 63), área de atuação e tempo de mercado. 14/10/2014
  • 11 - VIS Essential Investments adquire Advanta Capital. VIS Essential Investments anuncia  a aquisição da Advanta Capital, uma firma de private equity com sede em Zurique, focada exclusivamente em investimentos em recursos naturais.  Seus sócios fundadores, Marcel Kaufmann e Dr. Christoph Künzle, se juntam VIS como parceiros em  10 outubro de 2014. "VIS está empenhada em continuar sua trajetória de crescimento bem-sucedido, de acordo com a nossa estratégia focada no  conceito de EFW (energia, alimentos, água) eficiência ", diz Benjamin Ergas, co-fundador do VIS. VIS está baseada em Lausanne e São Paulo.  10/10/2014
  • 12 - Properati recebe aporte de R$ 5 mi. A Properati, plataforma online e mobile para o mercado imobiliário, recebeu um aporte financeiro de R$ 5 milhões dos fundos de investimentos europeus NEVEQ II e NXTP. Com o aporte, o portal de imóveis pretende investir na expansão da empresa e também em plataformas móveis para melhorar a experiência de usuários e clientes. O portal soma mais de 530 mil imóveis cadastrados, sendo 400 mil no Brasil e 130 mil na Argentina. Já em setembro, comprou o WImoveis, principal portal imobiliário do Distrito Federal, que fatura R$ 10 milhões por ano e detém cerca de 90% do mercado brasiliense. Na mesma época, a Navent, dona do Imovelweb, recebeu um aporte de R$ 45 milhões para investir nos negócios da América Latina. 17/10/2014

RELATÓRIOS - DESTAQUES DA SEMANA


QUEM, O QUÊ, QUANDO, QUANTO, COMO e POR QUÊ
 A pesquisa FUSÕES E AQUISIÇÕES - DESTAQUES DA SEMANA tem o propósito de captar o “clima” do mercado das operações de Fusões e Aquisições bem como sinalizar suas principais tendências. Trata-se da compilacão semanal das notícias visando tornar mais acessíveis e conhecidos os negócios de fusão, aquisição e venda realizados entre empresas com atuação no Brasil. Todas as informações sobre os negócios citados no presente relatório são obtidos a partir de notícias publicadas pela imprensa e divulgadas no “estado" pelo blog FUSOESAQUISICOES.BLOGSPOT http://fusoesaquisicoes.blogspot.com.br, não sendo feita qualquer verificação quanto à sua veracidade, precisão ou integridade do conteúdo. Sempre que possível, serão mencionados os nomes dos compradores – investidor estratégico ou fundos de private equity, dos vendedores, a tese de investimento e principais “value drivers”, o valor da transação, forma de pagamento, múltiplos praticados (Valor da Empresa/EBITDA, Valor da Empresa/Receita) etc. Muitas vezes a notícia não é clara a respeito dos valores/forma de pagamentos e respectivos múltiplos. É bem-vinda toda e qualquer contribuição para tornar as informações mais precisas e transparentes.   



IBM vai pagar US$ 1,5 bilhão para transferir produção de chips à Globalfoundries

A IBM anunciou nesta segunda-feira, 20, que assinou acordo para transferir a produção de chips — cuja divisão vem registrando perdas recorrentes nos últimos anos — à Globalfoundries, joint venture entre a americana AMD e dois grupos de investidores de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

Conforme os termos do acordo, a IBM vai pagar US$ 1,5 bilhão em dinheiro ao longo dos próximos anos, e terá um encargo, antes da incidência de impostos, de US$ 4,7 bilhões, que será contabilizado no balanço do terceiro trimestre, que será divulgado nesta segunda-feira após o fechamento dos mercados.

A conclusão do acordo ocorre num momento nada animador para a IBM. Nesta segunda, a companhia admitiu que não conseguirá cumprir a meta de lucro de pelo menos US$ 20 por ação no próximo ano, por causa da desaceleração nas vendas de hardware e serviços. Além disso, os resultados do terceiro trimestre devem vir com queda na receita, para cerca de US$ 22,4 bilhões dólares, e um lucro por ação de US$ 3,68, ambos muito aquém das previsões de Wall Street.

O anúncio fez com que as ações da IBM desabassem na bolsa eletrônica Nasdaq. Os papéis da companhia, que já operavam com queda de 4.42% no pregão pré-market, negociados a US$ 174, desabaram 6,81% às 13h39 (horário de Brasília), cotados a US$ 169,66.

Durante uma teleconferência nesta segunda-feira, o diretor financeiro da IBM Martin Schroeter cita a queda na receita devido ao desempenho mais fraco do que o esperado principalmente nas atividades de serviços. "Obviamente, ficamos decepcionados neste trimestre", disse a CEO da IBM Virginia Rometty durante uma teleconferência.

Pelo ocordo, o repasse da produção de chips dará à GlobalFoundries acesso a milhares de patentes de semicondutores, bem como às operações da IBM em Nova York e Vermont. Um comunicado conjunto emitido pelas empresas diz que a união das operações vai oferecer oportunidades de trabalho para "substancialmente todos os funcionários da IBM".

Para a IBM, a transferência da divisão possibilitará a continuidade das pesquisas com semicondutores, tais como o desenvolvimento de novos materiais, de novas capacidades e de sistemas de alto valor, segundo disse o vice-presidente ediretor de pesquisa da IBM, JohnE.KellyIII, em um comunicado. Além disso, vai permtir que ela se concentre em novas áreas, como computação em nuvem, análise de dados, mídias sociais, mobilidade e segurança.

Em julho, a IBM anunciou um acordo de parceria com a Apple para o desenvolvimento de aplicativos de negócios para iPhone e iPad. Na semana passada, a IBM divulgou um acordo com a SAP, por meio do qual fornecerá infraestrutura de nuvem para aplicativos de negócios da fabricante de software.

Esta é a segunda divisão da IBM desmembrada neste ano.Em janeiro, ela vendeu parte da unidade de servidores para fabricante chinesa Lenovo, por U $2,3 bilhões. Com informações de agências de notícias internacionais. Leia mais em tiinside 20/10/2014



Negociações entre Fleury e Gávea Investimentos fracassam

A empresa de diagnósticos Fleury divulgou nesta segunda-feira que seu controlador indireto Core Participações informou, em correspondência, que foram encerradas sem sucesso as negociações para venda de sua participação na companhia para a gestora de recursos Gávea Investimentos.

As partes iniciaram em março negociações exclusivas para potencial alienação da totalidade da fatia da Core na empresa.

Além de possuir uma participação direta de 6,3 por cento na companhia, a Core detém quase 75 por cento da Integritas Participações, que, por sua vez, é dona de 46,7 por cento do Fleury.

Há tempos a imprensa vinha noticiando que a Core, formada por um grupo de médicos, estaria disposta a passar o controle do negócio adiante. Em meados de novembro passado, o Fleury informou que a Core tinha contratado o JPMorgan para avaliar alternativas estratégicas para sua fatia, "inclusive com eventual ingresso de novos investidores".

Às 10h28, as ações do Fleury caíam 2,26 por cento, a 14,72 reais, com o Ibovespa, do qual não faz parte, em queda de 0,72 por cento.Marcela Ayres, da REUTERS Leia mais em Exame 20/10/2014



Portugal Telecom desaba na Bolsa por incerteza sobre fusão com a Oi

A ação da Portugal Telecom (PT) registrava uma queda expressiva de mais de 20% na Bolsa de Lisboa, em consequência das incertezas sobre o projeto de fusão com a brasileira Oi, que busca vender ativos de seu sócio português.

Às 10H40 GMT (8H40 de Brasília), a ação operava em queda de 20,92%, a 0,96 euro, o menor valor histórico.

A Altice, matriz da operadora de cabo francesa Numericable, negocia desde o início de outubro com a Oi para comprar os ativos portugueses da PT, o que inicialmente valorizou o título.

Mas desde a saída, em 8 de outubro, do presidente da Oi, Zeinal Bava, a Portugal Telecom iniciou uma série de quedas na Bolsa de Lisboa, o que fez a ação perder mais de 30%.

A operação de fusão em curso entre Portugal Telecom e Oi deveria supostamente resultar na criação de um gigante das telecomunicações do mercado de língua portuguesa, com mais de 100 milhões de clientes e 30.000 funcionários.

Mas um empréstimo de 897 milhões de euros concedido em abril pela Portugal Telecom a Rioforte, uma das holdings do grupo Espirito Santo, provocou divisão entre as duas operadoras.

A Rioforte está a caminho de uma liquidação de seus ativos, o que torna improvável a devolução do empréstimo a Portugal Telecom.

Desde a descoberta em 26 de junho da dívida, a ação da PT caiu 65%, passando de 2,89 euros a menos de um euro. Ao mesmo tempo, a capitalização na Bolsa passou 2,6 bilhões de euros a menos de um bilhão.

A Oi obrigou o sócio português a assinar um novo acordo de fusão, segundo o qual a Portugal Telecom veria sua parte reduzida na nova empresa a 25,6%, contra 38% previsto inicialmente.

De fato, ativos da Portugal Telecom já foram absorvidos pela Oi, por uma ampliação de capital do grupo brasileiro em maio.

Mas a operação de fusão dos dois sócios pode ser descartada no caso de êxito das atuais negociações entre Oi e Altice. AFP Leia mais em Bol.Uol 20/10/2014



KKR investe US$ 55 milhões em startup alemã de inteligência artificial

A empresa global de investimentos KKR anunciou que investirá US$ 55 milhões na aquisição de participação minoritária na Arago — cujo percentual não foi revelado —, startup alemã que desenvolve software de inteligência artificial. Segundo a companhia, a tecnologia permite que as empresas reduzam os profissionais de TI, realocando-os para demais funções.

Segundo informações do The Wall Street Journal, a KKR pretende ajudar na globalização da startup. Para tal, a empresa de investimentos vai introduzir a tecnologia da Arago para gestores entre as mais de 90 empresas em que detém participações, as quais gastam US$ 10 bilhões por ano em TI, de acordo com a KKR.

"A Arago prossegue uma estratégia de crescimento contínuo e expansão internacional e, com a KKR, temos agora um parceiro que suporta perfeitamente esta abordagem. A longa história da investidora na área de B2B e sua rede internacional de empresas serão um grande trunfo para a empresa", declarou Chris Boos, fundador e CEO da Arago, em um comunicado. Leia mais em Tiinside 17/10/2014



19 outubro 2014

Investidores devem propor compra da Reebok

Um consórcio de investidores de Hong Kong e Abu Dhabi devem fazer uma oferta para a companhia alemã Adidas de aquisição da Reebok. Se a proposta for bem sucedida, deverá romper uma associação de oito anos de dois fabricantes de tênis, a qual produziu resultados desapontadores.

Jynwel Capital, o braço de investimento da bilionária família asiática Low e fundos filiados ao governo de Abu Dhabi pretendem encaminhar a proposta para os diretores da Adidas, avaliando a Reebok em 1,7 bilhão de euros, o equivalente a US$ 2,2 bilhões, segundo informações de pessoas com conhecimento do assunto.

Na proposta, os investidores devem argumentar que a Reebok terá um futuro brilhante se for administrada independentemente, ecoando um sentimento que apareceu na mais recente onda de problemas corporativos. Não há evidências de que a oferta será bem recebida pela Adidas.

A Adidas adquiriu a Reebok em 2006 por cerca de 3 bilhões de euros (US$ 3,8 bilhões), com a intenção de criar uma empresa de calçados e roupas esportivas para concorrer com a Nike e ter maior influência junto aos varejistas. Outra intenção era ampliar a presença no mercado norte-americano.

Em 2005, quando o negócio foi anunciado, a Adidas e a Reebok eram a segunda e a terceira fabricantes do mercado de calçados esportivos dos Estados Unidos, com 10% e 8% do mercado, respectivamente, segundo a SportsOneSource. Este ano, a participação no mercado norte-americano da Adidas caiu para 6%, enquanto a da Reebok foi para 1,8%. A Nike, em contrapartida, viu sua posição de mercado subir para perto de 60%, dos 35% que tinha em 2005. Estadao | Leia mais em Yahoo 18/10/2014

19 outubro 2014



18 outubro 2014

IPO da Ouro Fino sai no topo da faixa, movimenta R$418 mi

A Ouro Fino Saúde Animal garantiu nesta sexta-feira a primeira estreia de uma empresa brasileira na Bovespa em 2014, ao precificar sua oferta de ações no topo da faixa estimada, resultado surpreendente diante de mercado bastante volátil.

A empresa vendeu 15,46 milhões de ações a 27 reais cada, operação que movimentou cerca de 418 milhões de reais, liderada por JP Morgan, Itaú BBA, Bradesco BBI e BB Investimentos.

Deste montante, 106,44 milhões de reais (3,94 milhões de papéis) correspondem à venda de ações novas, a oferta primária, cujos recursos serão canalizados para o caixa da companhia e serão usados para reduzir dívidas e expandir negócios.

A Ouro Fino afirmou no prospecto preliminar da oferta que pretende se expandir para mercados como Colômbia e México.

Outros 311,54 milhões de reais (11,54 milhões de papéis) são da venda de ações dos sócios fundadores Norival Bonamichi e Jardel Massari, também conselheiros de administração.

A companhia estreia no pregão da Bovespa na próxima terça-feira (21), negociada sob a sigla OFSA3.

Com sede em Cravinhos (SP), a Ouro Fino se apresenta como a maior empresa nacional do mercado de saúde animal da América Latina, especializada em vacinas para bovinos, equinos, aves e suínos, e produtos veterinários para animais de estimação.

A companhia tem como sócia desde 2007 a BNDESPar, braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). (Por Aluísio Alves e Guillermo Parra-Bernal; Edição de Luciana Bruno) Reuters Leia mais em bol.uol 17/10/2014

18 outubro 2014



Properati recebe aporte de R$ 5 mi

A Properati, plataforma online e mobile para o mercado imobiliário, recebeu um aporte financeiro de R$ 5 milhões dos fundos de investimentos europeus NEVEQ II e NXTP.

Com o aporte, o portal de imóveis pretende investir na expansão da empresa e também em plataformas móveis para melhorar a experiência de usuários e clientes.

O portal soma mais de 530 mil imóveis cadastrados, sendo 400 mil no Brasil e 130 mil na Argentina.
“Por meio da entrega de leads de qualidade, oferecemos mais oportunidade de negócios. Quem cadastra seus imóveis recebe os contatos das pessoas que realmente demonstraram interesse em seus imóveis e isso facilita e agiliza as negociações tanto para quem vende quanto para quem compra”, destaca Renato Orfaly, Country Manager da Properati.

Um dos primeiros investidores institucionais da Properati, o NXTPLabs investe novamente no portal de imóveis para ajudar no plano de expansão da empresa.

O Properati nasceu na Argentina em setembro de 2012 e chegou ao Brasil em março de 2014.
Outra plataforma para busca de imóveis que vem buscando expansão é a Imovelweb.

Em julho, adquiriu a ImóvelClass, empresa de Porto Alegre que trabalha com publicidade focada no mercado imobiliário.

Já em setembro, comprou o WImoveis, principal portal imobiliário do Distrito Federal, que fatura R$ 10 milhões por ano e detém cerca de 90% do mercado brasiliense.

Na mesma época, a Navent, dona do Imovelweb, recebeu um aporte de R$ 45 milhões para investir nos negócios da América Latina.

O Imovelweb foi fundado em 1998 e hoje conta com mais de 150 colaboradores em todo o Brasil. A empresa tem unidades próprias em dez cidades brasileiras. O portal recebe mais de 3 milhões de visitas mensalmente.Júlia Merker Leia mais em Baguete 17/10/2014



Cade aprova compra da Transbrasiliana pelo Grupo Triunfo

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a aquisição, pela Dable Participações, da totalidade das ações de emissão da BR Vias Holding TBR, que detém o capital social da Transbrasiliana Concessionária de Rodovia.

A Dable é uma holding não operacional parte do Grupo Triunfo, que possui participação em empresas concessionárias de serviços públicos de transporte rodoviário, de geração de energia elétrica, de logística portuária e administração de aeroportos.

A empresa adquirida, a Transbrasiliana, atua na administração da concessão da rodovia BR-153 no trecho entre a divisa dos estados de São Paulo e Minas Gerais e a divisa dos estados de São Paulo e Paraná.

O aval para o negócio, anunciado pelo Grupo Triunfo em setembro no valor de R$ 22,659 milhões, foi dado pela Superintendência Geral do Cade.

O despacho está publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 17. Luci Ribeiro, do Estadão Leia mais em Exame 17/10/2014



VIS Essential Investments adquire Advanta Capital

VIS Essential Investments anuncia  a aquisição da Advanta Capital, uma firma de private equity com sede em Zurique, focada exclusivamente em investimentos em recursos naturais.  Seus sócios fundadores, Marcel Kaufmann e Dr. Christoph Künzle, se juntam VIS como parceiros em  10 outubro de 2014.

"VIS está empenhada em continuar sua trajetória de crescimento bem-sucedido, de acordo com a nossa estratégia focada no  conceito de EFW (energia, alimentos, água) eficiência ", diz Benjamin Ergas, co-fundador do VIS. VIS está baseada em Lausanne e São Paulo. Leia mais em visinvestimentos 10/10/2014



17 outubro 2014

Integral e KeepIT anunciam fusão

A Integral, de Joinville, e a KeepIT, de Blumenau, anunciaram uma fusão das duas empresas na sexta-feira, 10.

Não foram revelados valores, ou participações acionárias na nova empresa, que terá uma nova marca a ser anunciada. O acordo teve suporte de escritório Nemetz & Kuhnen Advocacia.

De acordo com as companhias, a fusão cria uma líder de mercado entre as parceiras Microsoft no Sul do país.

“Quem mais sairá ganhando serão nossos clientes, que terão à disposição uma maior cobertura geográfica, maior portfólio e a certeza de que está assistido por um grupo forte”, comenta Carlos Fersura, proprietário da Integral. “A consolidação é um processo natural desse mercado altamente competitivo”, agrega Agostinho Artur Schnaider, proprietário da KeepIT.

As duas empresas não divulgam faturamento, mas tem um tamanho similar quando o assunto é funcionários (a KeepIT tem 42 colaboradores e a Integral, 63), área de atuação e tempo de mercado.
Fundada há 12 anos, a KeepIT oferece soluções da Microsoft nas áreas de comunicações, portais, Office 365, Intune, virtualização e gestão de inventário.

Já a Integral, tem 18 anos de mercado, e, além da linha Microsoft, também revende software da Citrix e StoneSoft.

Juntas, as empresas atendem clientes Santa Catarina, Paraná e São Paulo, incluindo algumas das maiores empresas catarinenses, como Hering,Tupy, Tigre, Altenburg, Malwee e Neogrid, além de nomes nacionais como Bunge, Marfrig, JBS e O Boticário.  Maurício Renner Leia mais em Baguete 14/10/2014
================

Fusão entre Integral e KeepIT garante liderança em parceria com Microsoft no Sul do Brasil

A Integral Informática e a KeepIT Informática agora são uma única corporação. Colaboradores de ambas as empresas com sede em Joinville e Blumenau, respectivamente, souberam da mudança nas primeiras horas da última sexta-feira (10/10). A união agrupa mais de 100 funcionários que terão mais desafios e oportunidades atuando numa carteira de grandes clientes distribuídos por Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Potências como Bunge, Marfrig, JBS, Hering, Duas Rodas, Tupy, Tigre, Aurora, Komeco, Cecred, Sociesc, Altenburg, Cetil, Haco, Malwee, Neogrid e O Boticário estão agora sob os cuidados de uma equipe maior e mais forte.

O proprietário da KeepIT, Agostinho Artur Schnaider, esclarece que a consolidação é um processo natural desse mercado altamente competitivo e que as soluções de nuvem exigem um reposicionamento para atender as expectativas do mercado. Os gestores afirmaram o compromisso de crescimento, unificando as equipes. “Quem mais sairá ganhando serão nossos clientes, que terão à disposição uma maior cobertura geográfica, maior portfolio e a certeza de que está assistido por um grupo forte”, comenta o proprietário da Integral, Carlos Fersura.

A operação levou seis meses e teve o suporte de escritório Nemetz & Kuhnen Advocacia. A fusão contará com uma nova marca, que será anunciada em breve.

KeepIT
Criada há 12 Anos, a KeepIT conta com a experiência de profissionais certificados para projetar, implantar, suportar e monitorar os produtos Microsoft. Atuando exclusivamente com tecnologias Microsoft, fez da plataforma de soluções corporativas o DNA da empresa. A KeepIT também oferece, desde 2007, treinamentos oficiais Microsoft para profissionais de TI, funcionários corporativos, desenvolvedores, instrutores de tecnologia e arquitetos de sistemas se capacitarem para o seu mercado.

Integral Informática
A Integral Informática é uma empresa de Tecnologia da Informação, sediada em Joinville (SC), fundada em 1996. Especializada na administração e implantação de soluções de Infraestrutura e Segurança Lógica de TI, a Integral também licencia produtos de diversos parceiros, adequados às necessidades dos clientes, com destaque para Microsoft, Citrix e StoneSoft. Leia mais em acontecendoaqui 17/10/2014


17 outubro 2014