25 abril 2015

Alltech adquire Ridley Inc. e fortalece posição de liderança global no mercado de nutrição animal

Fusão deve representar uma receita anual superior a U$$ 1,6 bilhão de dólares. Empresa ampliará atuação no setor e pretende atender o mercado de forma mais rápida e eficiente

A Alltech e a Ridley Inc. anunciaram hoje (23), nos Estados Unidos, que firmaram um acordo de fusão no qual a Alltech irá adquirir 100% das ações em circulação da Ridley, uma das principais empresas de nutrição animal da América do Norte. O valor total da aquisição é de aproximadamente U$$ (CAD) 521 milhões, sendo U$$ (CAD) 40,75 por ação.

A negociação representa uma valorização de aproximadamente 23% em relação ao preço médio das ações ordinárias da Ridley nos últimos 20 dias na maior bolsa de valores do Canadá, a Toronto Stock Exchange (TSX). O preço de fechamento das ações da empresa na TSX, ontem, foi de U$$ (CAD) 33,94. Os conselhos de administração das duas empresas aprovaram por unanimidade a fusão. "Essa transação transformadora, que combina duas líderes da indústria, permitirá a Alltech oferecer melhor desempenho e valor para os produtores de gado e de aves em todo o mundo", analisa o fundador e presidente da Alltech, Dr. Pearse Lyons.

O presidente acredita, ainda, que a aquisição contribuirá para atender o mercado de forma mais eficiente em razão do conhecimento técnico das duas empresas. “Com os principais suplementos para nutrição animal da Ridley e sua extensa atuação no campo junto aos produtores, nós seremos capazes de somar a nossa tecnologia e, com isso, atender o mercado de forma mais rápida e eficiente. Essa combinação cria um novo modelo no segmento, apoiada por robustas análises de pesquisa e dados científicos, a fim de oferecer produtos de qualidade superior. Esse acordo reforça o impulso contínuo da Alltech no crescimento do negócio, por meio de aquisições estratégicas de empresas de renome no desenvolvimento de tecnologia e reconhecidas pelo mercado", explica.

"A união da Ridley com Alltech é a oportunidade de oferecer as melhores soluções de nutrição para os produtores de carne, leite e ovos de todo o mundo", disse o presidente e CEO de Ridley, Steven J. VanRoekel. Ele reforça ainda a representatividade global da fusão. "A Alltech é líder em tecnologia com uma ampla presença global. Unindo forças vamos criar uma plataforma para crescer e desenvolver soluções visando amplificar a performance dos produtores. Estamos também nos juntando a uma empresa financeiramente sólida que está empenhada em investir em pesquisas para que possamos entregar as mais avançadas soluções de nutrição animal", complementa.

A Ridley é uma das maiores empresas de nutrição animal na América do Norte, fabrica e comercializa uma gama que inclui rações formuladas, suplementos para ração, suplementos em bloco, produtos de saúde animal e outros ingredientes para nutrição animal. Os clientes são produtores de gado, bem como, criadores de equinos e animais de estimação. Os produtos da indústria são vendidos diretamente para produtores ou por meio de canais de distribuidores e revendedores.

Ambas companhias são líderes da indústria e se comprometeram a investir em soluções de nutrição com programas de alimentação avançados que otimizam o desempenho físico e financeiro nas propriedades, levando eficiência e rentabilidade. A Alltech investe cerca de 10% de sua receita bruta em pesquisas, valor superior ao valor gasto por outras empresas do setor. Já a Ridley tem uma forte equipe técnica com mais de 40 funcionários que têm produzido alguns dos best-sellers da indústria. A partir de agora, trabalhando com Alltech, se somará a equipe de aproximadamente 150 funcionários com doutorado. Esse acordo irá aumentar ainda mais o conhecimento cientifico da Alltech e, em um primeiro momento, permitirá o alcance de mais  produtores de gado e aves nos EUA, além do desenvolvimento de soluções mais avançadas para países em todo o mundo.

A melhoria da alimentação animal é uma necessidade constante para a produtividade da pecuária e para a cadeia alimentar global. Os custos com alimentação representam a maior parte dos investimentos em produção pecuária. Ao melhorar a nutrição, os produtores de gado e de aves são capazes de perceber maior rentabilidade da propriedade. A Alltech possui um compromisso continuado para a criação de animais saudáveis, ​por meio de programas nutricionais e de saúde com foco em ingredientes naturais e livres de antibióticos.

A fusão representará a presença em mais de 128 países e 4.200 funcionários no mundo todo. A Alltech mais do que duplicou as suas vendas nos últimos três anos e pretende atingir U$$ 4 bilhões em vendas nos próximos anos.

A transação está sujeita à aprovação dos acionistas Ridley, revisão regulatória e outras condições habituais de fechamento. A negociação deverá ser concluída até o final do segundo trimestre. A Alltech possui um histórico de aquisições bem sucedidas, tendo completado sete desde 2011.

Sobre a Alltech do Brasil

A Alltech tem como missão desenvolver soluções para a qualidade de vida e desempenho dos animais, visando sustentabilidade e bem-estar do consumidor através inovação científica e nutrição animal. Com presença global em 128 países, o Brasil é o segundo maior volume de produção mundial do Grupo. A Alltech do Brasil é formada por uma unidade fabril em São Pedro do Ivaí (PR) e por um centro administrativo e planta industrial em Araucária (PR) e uma unidade em Indaiatuba (SP). Leia mais em segs 24/04/2015

25 abril 2015



Comcast desiste da fusão com Time Warner Cable

Agora é oficial. A Comcast e a Time Warner Cable (TWC) anunciaram nessa sexta-feira, 24, que resolveram abandonar a proposta de fusão das empresas, avaliada em US$ 45 bilhões. A decisão foi tomada após escrutínio dos reguladores norte-americanos que avaliou risco de que a gigante resultante da fusão teria vantagens injustas no mercado de TV, entretenimento e Internet.

O negócio uniria as duas maiores operadoras de cabo dos EUA, com quase 30% do mercado, e que juntas concentram mais da metade dos usuários de banda larga daquele país (cerca de 57%). O Departamento de Justiça norte-americano, por exemplo, chegou a afirmar que o negócio tornaria a empresa resultante em um "guardião (gatekeeper) inevitável" dos serviços de banda larga, ao passo que o presidente da FCC, Tom Wheeler, disse nesta sexta que a transação geraria um "risco inaceitável à competição e à inovação".

A fusão entre Comcast e TWC foi elemento importante nas discussões sobre neutralidade de rede nos EUA. Netflix e Comcast trocaram muitas farpas publicamente, onde a primeira acusava a Comcast de forçar acordo comercial para priorizar tráfego sob pena de degradação do serviço de entrega de vídeo da over-the-top (OTT). Nesse cenário, a fusão serviria apenas para "incentivar" a cobrança das OTTs. Leia mais em convergecom 24/04/2015




Petrobras estuda opções de desinvestimento na BR Distribuidora

Petrobras tem um plano de desinvestimento de pouco mais de 13 bilhões de dólares para 2015 e 2016, visando a redução da alavancagem, preservação do caixa e concentração nos investimentos prioritários

A Petrobras está estudando opções de desinvestimento da sua subsidiária BR Distribuidora, mas quando isso será definido e se ela terá realmente parte do seu capital vendido ainda está em avaliação pela companhia.

“A BR Distribuidora é um ativo maravilhoso da companhia e a gente está nesse processo de modelagem, a gente não tem nenhuma definição ainda do que levará esse processo no final”, afirmou o diretor financeiro da Petrobras, Ivan Monteiro, nesta quinta-feira, em entrevista à Reuters.

Questionado sobre a possibilidade de a BR Distribuidora passar por um processo de IPO (do inglês, oferta pública inicial), o executivo respondeu que, na sua opinião, de forma geral, “processos públicos são muito bem-vindos, por sua transparência e competitividade”.

Mas ele não quis adiantar se será uma das opções estudadas para a subsidiária de distribuição de combustíveis da Petrobras.

“O IPO é um processo público de precificação, isso sempre nos atrai bastante”, afirmou.

A Petrobras tem um plano de desinvestimento de pouco mais de 13 bilhões de dólares para 2015 e 2016, visando a redução da alavancagem, preservação do caixa e concentração nos investimentos prioritários.

De acordo com o executivo, há uma carteira bastante dinâmica de ativos que podem sofrer desinvestimentos. “A modelagem pode indicar uma ou outra solução”, afirmou.
Influência do governo

Monteiro também evitou explicar como será a política de preços de combustíveis adotada pela nova diretoria e se ela sofrerá ajustes em relação ao que vinha ocorrendo nos últimos anos, em que a empresa evitou repassar a volatilidade dos mercados futuros globais de petróleo.

De acordo com ele, o próximo plano de negócios terá como premissa a adoção de preços competitivos e de mercado.

Questionado sobre qual será o grau de influência do governo na tomada de decisões da empresa, Monteiro ressaltou que o governo é o acionista controlador, mas que a visão da petroleira é empresarial.

“Cabe à diretoria executiva prestar contas de suas metas, sua performance, no Conselho de Administração, onde estão lá representantes do acionista majoritário e demais acionistas”, afirmou o executivo, que preferiu não responder perguntas que não fossem diretamente relacionadas com a sua área, inclusive sobre as relações da empresa com o governo.
Opções de financiamentos

Monteiro frisou que as necessidades de financiamento no mercado para 2015 já foram atendidas e, para o próximo ano, podem ser consideradas outras opções da captações de recursos não buscadas nos últimos anos, caso sejam atrativas.

De acordo com ele, há 15 anos que a companhia não visita mercado de renda fixa no Brasil. Ele revelou também “muito interesse” em estudar opções de debêntures de infraestrutura.

“Há 15 anos não existiam debêntures de infraestrtutura como existe hoje. A Petrobras tem a possibilidade de acessar esse mercado e a gente vai estudar isso”, afirmou.

Outra opção, de acordo com Monteiro, seria estudar créditos vinculados a exportações, nos mercados canadense, italiano, inglês, norueguês e japonês.

A Petrobras anunciou neste mês uma operação de financiamento por meio de venda e posterior arrendamento de plataformas, com opção de recompra.

Segundo Monteiro, essa é uma operação que está de acordo com as premissas da companhia e que pode ser repetida.

Ele descartou, no entanto, qualquer possibilidade de capitalização da companhia, reiterando posição comentada mais cedo, em teleconferência com analistas para comentar os resultados financeiros do ano passado.
Pagamento de dividendos e plr

Alguns analistas de mercado questionaram a decisão da companhia de não pagar dividendos, diante do prejuízo bilionário de 2014, enquanto os funcionários receberão participação nos lucros e resultados.

Mas Monteiro explicou que o acordo coletivo prevê que, caso os funcionários cumpram determinados itens, como lucro bruto, refino e produção, devem receber participações.

“Dado que existe um acordo e ele está em vigor, a companhia vai pagar a participação que é devida aos seus funcionários, porque eles cumpriram as metas acordadas com a companhia e está previsto no acordo coletivo da categoria”, afirmou.

Apesar da crise que atingiu a Petrobras em 2014, por conta do escândalo de corrupção, que resultou em perdas de mais de 6 bilhões de reais, a companhia ampliou a produção de petróleo no ano passado em mais de 5 por cento, superando petroleiras listadas, como a ExxonMobil.  Wellington Bernardes -(Fonte: Reuters) Leia mais em jornalcana 24/04/2015



24 abril 2015

Battistella venderá operação de veículos pesados em SC

A companhia paranaense assinou uma carta de intenções com a Scania

  A Battistella anunciou nesta segunda-feira (13) que firmou uma carta de intenções com a Scania tendo por objeto a eventual venda de ativos que representam o negócio de veículos pesados do grupo em Santa Catarina. Estima-se que essa operação seja concluída em até seis meses. “O fechamento do negócio está sujeito à implementação de determinadas condições precedentes usuais para operações similares, tais como a realização de due diligence, negociação e celebração dos contratos definitivos e a aprovação pelas autoridades concorrenciais brasileiras”, explica o comunicado. Por essa razão, o valor da transação não foi estimado.

Hoje o Grupo Battistella atua predominantemente na cadeia logística, com grande concentração em veículos pesados da Scania abrangendo a venda de veículos novos, seminovos, peças e serviços. A companhia paranaense também tem participação de 42% no Porto de Itapoá (SC) e ainda atua na comercialização de madeira. A Battistella é a 106ª companhia da região segundo o ranking 500 MAIORES DO SUL, publicado por AMANHÃ em parceria com a consultoria PwC. Leia mais em amanha 13/04/2015

24 abril 2015



Dassault Systèmes adquire Modelon GmbH

Um novo marco para alcançar "Ready-to Experience" Sistemas de Mecatrônica

Dassault Systèmes líder mundial em software de projeto 3D, 3D Digital Mock Up and Product Lifecycle Management (PLM), anunciou hoje a aquisição da Modelon GmbH , especialista em conteúdo "ready-to-experiência" para modelagem e simulação de sistemas estratégicos para transformar a indústria de transporte e mobilidade. Leia mais em yahoo 23/05/2015




SPRINGER -Venda de participação societária em controlada

SPRINGER - Fato Relevante -Venda de participação societária em controlada

 Springer S.A. em atendimento ao disposto na Instrucao CVM n. 358, comunica a seus acionistas e ao mercado em geral, que firmou nesta data Contrato de Venda e Compra da totalidade das acoes que a Springer S.A. possui do capital social da Plastwal Latino Americana Industria e Comercio Ltda, de 38.511.362 quotas, correspondente a 64,55%, com o sr. Marcelo Aprile Perrone, residente  e domiciliado na Capital do Estado de Sao Paulo.

Pela venda a Springer recebera o valor de R$ 200.000,00, que serao pagos em 60(sessenta) dias, apos satisfação de todas as exigencias legais. Cotia, 13 de abril de 2015  Leia mais em bmfbovespa 13/04/2015



Nutriplant faz troca de ações com Herbioeste

A Nutriplant, empresa de micronutrientes e fertilizantes especiais, assinou um contrato que prevê a troca de ações da empresa por cotas da Herbioeste, controlada pelo Grupo WM Dib. Inicialmente, haverá uma emissão privada de debêntures conversíveis da Nutriplant a serem subscritas pela Herbioeste, no valor de R$ 5 milhões. A negociação prevê também a opção de venda para o grupo de 3.636.365 ações ordinárias da Nutriplant, que atualmente pertencem à Tripto Participações.

Se aportar todas as cotas da Herbioeste no capital da Nutriplant, o grupo receberá da companhia – que tem ações na BM&FBovespa e está listada no Bovespa Mais – um total de 34.893.854 novas ações, que serão emitidas no mercado. A expectativa das companhias é que o processo seja concluído em um prazo de até 180 dias, a partir da primeira subscrição das debêntures da Nutriplant.

Fundada em 1976, em Matelândia (PR), a Herbioeste é especializada na produção de fertilizantes organominerais, mas atua também na comercialização de outros tipos de adubos, defensivos agrícolas, sementes e grãos. A empresa detém ainda sete unidades de recepção e armazenamento de cereais nos municípios paranaenses de Toledo, Cascavel, Sobradinho, Assis, São Judas, Nova Concórdia, São Jorge e Lopeí.

Em 2014, a Herbioeste registrou uma receita bruta de R$ 146 milhões e Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) próximo de R$ 5 milhões. Já a Nutriplant contabilizou uma receita líquida de R$ 44,4 milhões e um prejuízo líquido de R$ 6,02 milhões no ano fiscal encerrado em 31 de dezembro de 2014. Fonte: Valor | Por Mariana Caetano Leia mais em alfonsin 16/04/2015



SambaAds recebe aporte de R$ 3 milhões

A SambaAds, empresa de distribuição de conteúdo em vídeos online, recebeu um novo aporte de R$ 3 milhões dos atuais investidores: e.Bricks, 500 Startups e Rhodium (Israel).

Com a nova rodada de investimentos, a empresa tem o objetivo de impulsionar a distribuição de conteúdo, contratar novos profissionais e aumentar a capacidade de geração de inventário.

“Acreditamos que o segmento de vídeos online seja um dos mais promissores para este ano. Temos convicção de que a SambaAds conseguirá expandir sua atuação com a nova rodada de investimentos e oferecer soluções ainda mais completas ao mercado”, comenta Pedro Melzer, diretor do e.Bricks.

Os esforços da SambaAds para 2015 estarão voltados para ações focadas em atrair novos publishers e produtores de conteúdo independentes, o que acarretará no aumento de sua biblioteca de conteúdo e impactará na escala da distribuição e inventário da empresa.

“Com a nova rodada, vamos trabalhar fortemente na curadoria do melhor conteúdo em vídeos online do Brasil, escalando sua distribuição para milhares de site parceiros, e uma solução inovadora para transformar a maneira como anunciantes, publishers e produtores interagem, engajam e monetizam sua audiência", comenta Rodrigo Paolucci, CEO da SambaAds.

Fundada em 2012, a SambaAds conecta produtores nacionais e internacionais a milhares de sites e blogs independentes. Já estão com a Samba produtores como Lance!, Omelete, TechMundo e Bolsa de Mulher.

Também estão na empresa como publishers: Correio24h, iBahia, Band, Leia Já, A Tarde, O Dia, Ana Maria e Estado de Minas
.
Um dos investidores, o e.Bricks, é uma divisão da RBS voltada a investimentos em startups de tecnologia. Em 2013, a companhia estabeleceu um plano de investimentos de cerca de R$ 100 milhões em novos negócios, em um plano que contemplava de 12 a 15 empresas no total. Foram investidas até o momento empresas startups como RockContent, ZoeMob, Juv&You, e GuiaBolso.

Outras 10 empresas de maior porte, acima dos R$ 30 milhões de faturamento, já tiveram participações compradas pela RBS, incluindo nomes como Wine.com.br, Predicta, Pontomobi, Guia da Semana, ObaOba, Hagah, Lets e Vitrinepix. Júlia Merker // Leia mais em Baguete  24/04/2015



Com caixa, Anima deve partir para novas compras

A desistência de uma aquisição bilionária depois das mudanças no Fies não vai tirar a Anima Educação do mercado de fusões e aquisições, segundo fontes.

Pessoas próximas à companhia afirmaram ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, que o valor de R$ 1,14 bilhão que serviria para comprar duas universidades da norte-americana Whitney será usado em outros negócios.

As fontes também não descartam que Anima e Whitney voltem a conversar no futuro, desde que as condições para a aquisição sejam diferentes.

A Anima surpreendeu o mercado ao anunciar, na quarta-feira, 22, que não iria mais comprar a Universidade Veiga de Almeida (UVA), do Rio de Janeiro, e o Centro Universitário Jorge Amado (UniJorge), da Bahia.

A aquisição, anunciada no fim de dezembro, tinha sido o maior negócio registrado no setor de educação em 2014.

O que motivou a desistência, segundo a empresa, foi a mudança nas regras do financiamento estudantil, que passaram a valer poucos dias depois do anuncio da compra feito pela Anima.

Como o mercado trabalha com um cenário em que a oferta de vagas do Fies será reduzida, o crescimento das empresas de ensino tende a ser mais fraco.

Se mantivesse o negócio com a Whitney, a Anima comprometeria uma grande quantidade de caixa e levaria muito mais tempo para ver o crescimento que imaginou ter quando fez a aquisição.

Ao mesmo tempo, os norte-americanos também não estavam mais satisfeitos com preço pago pela Anima, já que o câmbio tornou o negócio muito menos atrativo para a matriz.

As empresas, no entanto, podem retomar as conversas. A Anima gostaria de pagar menos pela Whitney, já que houve uma desvalorização dos preços de ativos de ensino.

E num cenário de dólar menos apreciado, por exemplo, isso poderia ser uma possibilidade.

Risco menor

Para o BTG Pactual, a aquisição era estratégica, mas se tornou preocupante diante do impacto que teria no caixa e na alavancagem. “

Embora tenhamos visto a aquisição como estrategicamente positiva para Anima, o preço de R$ 1,14 bilhão teria elevado os níveis de alavancagem da Anima para perto de um patamar de dívida líquida alcançando 3 vezes o Ebitda de 2015", escreveram em relatório JC Santos, Gustavo Cambauva e Rodrigo Gastim.

A J.Safra calculou ainda que, desde as mudanças no Fies, o valor dos ativos da Whitney em dólar caiu em um terço. Para os analistas Marcio Osako e Olavo Duarte o cancelamento do negócio ajuda a reduzir incertezas relativas à performance operacional da Whitney, além de mitigar o risco de alto endividamento da Anima. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. Dayanne Sousa, do Estadão Leia mais em exame 24/04/2015



99designs, maior marketplace de design do mundo, recebe aporte de US$ 10 milhões

Realizado pela Recruit Holdings, o investimento terá impacto direto na operação brasileira São Paulo e Rio de Janeiro

99designs, o maior marketplace para design gráfico do mundo, anunciou hoje o recebimento de 10 milhões de dólares por um aporte estratégico série B. Ele foi emitido por Recruit Strategic Partner, o braço de capital de risco da japonesa Recruit Holdings Co., Ltd., sediada em São Francisco. Accel, a principal investidora de 99designs durante a série A em 2011, também reinvestiu e adicionou o parceiro Rob Solomon ao conselho.

Segundo Dan Strougo, Diretor Geral LATAM 99designs, o site brasileiro da 99designs será positivamente impactado pela nova rodada de investimentos. “Dentre as mudanças previstas, estão novos métodos de pagamento (como boleto bancário), eventos para empreendedores e certificação de qualidade dos designers” completa Dan Strougo.

De acordo com Patrick Llewellyn, CEO de 99designs, o investimento feito por Recruit representa um movimento estratégico para apoiar a futura expansão internacional da empresa, particularmente no Japão e em outras regiões da Ásia, onde a Recruit é uma força dominante em serviços de informação e de encontro entre talentos. Além de ajudar na aceleração do crescimento mundial, a parceria com Recruit também abre portas a uma base de clientes mais ampla para serviços em design. “Nós sabíamos que precisaríamos do parceiro certo para entrar no Japão e aumentar nossa pegada no vasto mercado asiático”, explicou Llewellyn. “Recruit acredita que crowdsourcing e marketplaces são uma parte importante do futuro do trabalho e do encorajamento de pessoas a seguir seus sonhos e achar oportunidades. Isso é algo que viemos concretizando com sucesso para designers e pequenos negócios ao redor do mundo desde 2008, então o encaixe com a nossa companhia é perfeito”.

Recruit Strategic Partners (“RSP”) é uma filial integral de Recruit, holding baseada no Japão e pioneira em marketplaces empregatícios. Desde sua estreia, ela vem se transformando na maior plataforma do mundo especializada em empreendimentos verticais de encontro entre profissionais, incluindo nas áreas de recursos humanos, viagem, bens imobiliários, casamento e jantar.

“Investir na 99designs condiz com o objetivo Recruit de se tornar o número um em conexão mundial entre múltiplos setores”, disse Akihiko Okamoto, diretor administrativo e presidente de RSP. “Eles já ajudaram mais de 350 mil negócios a nascer e crescer, tendo pago mais de 110 milhões de dólares para designers do mundo todo. Por meio desse investimento, podemos colaborar com a divulgação da plataforma de design global na Ásia e além”.

A participação de Accel nessa rodada reflete sua convicção nas decisões estratégicas de expansão de 99designs. A chegada de Rob Solomon, venture partner de Accel, ao conselho administrativo também faz parte do empenho contínuo da companhia em construir uma forte marca global de internet voltada ao consumidor. Antes de Accel, Solomon atuou como presidente e COO de Groupon. Lá, ele conduziu operações durante a fase de hiper-crescimento da empresa e a ajudou a entrar na história como uma das companhia com a maior velocidade de expansão. “Desde o investimento inicial de Accel em 99designs, quatro anos atrás, eu assisti a marca adentrar novos mercados e passar de pioneira em design de logotipo movido por concursos para um próspero marketplace, no qual designers e empresas de pequeno e médio porte se conectam”, disse Solomon.“Como um membro do conselho, estou animado para ajudá-los a alcançar a próxima fase da sua ascensão”.

Sobre Recruit Holdings

Fundada em 1960, Recruit Holdings é líder em seviços de informação e recursos humanos no Japão. Por meio de uma ampla lista de serviços, Recruit entrega novas descobertas e oportunidades para os usuários desfrutarem em diversas dimensões de suas vidas, como emprego, educação, housing, casamento, viagens, restaurantes, beleza, carros, hobbies e estilo de vida. Recruit conta com mais de 300 mil funcionários e opera na Ásia e na América do Norte.

Recruit Strategic Partners, uma filial integral de Recruit no Japão, é uma companhia de capital de risco sediada no Vale do Silício que investe em inovação desenvolvida dentro dos Estados Unidos. Ela oferece conhecimento de mercado aos empreendedores e é uma parte íntegra do investimento corporativo mundial de Recruit. RSP também co-investe em firmas de capital de risco líderes nos Estados Unidos.

Sobre Accel Partners

Fundada em 1983 e com sede em Palo Alto, Califórnia, Accel tem uma longa tradição de parcerias com notáveis empresários e times de administração em prol de construir negócios em nível mundial. Ela já colaborou com mais de 300 companhias tecnológicas bem-sucedidas, muitas das quais defiram suas categorias, incluindo AdMob, AirWatch, Atlassian, Braintree, Campaign Monitor, Cloudera, Couchbase, Dropbox, Etsy, Facebook, Fusion-IO, Groupon, Hootsuite, Kayak, Lookout, MoPub, Nimble Storage, Opower, OzForex, QlikTech, Qualtrics, Real Networks, Riverbed, Rovio, SeatGeek, Spotify, Squarespace, SuperCell, Trulia e VSCO.

Sobre 99designs

99designs, o maior marketplace do mundo em design de logotipos e design gráfico, auxiliou mais de 350 mil negócios a adquirir design de qualidade por um preço acessível, tendo pago mais de 110 milhões de dólares a designers ao redor do globo. Ela foi pioneira em concursos de design baseados em crowdsourcing, nos quais o contratante recebe uma variedade de conceitos de design e escolhe o seu favorito. 99designs também oferece projetos 1-para-1 (colaboração individual entre um contratante e um determinado designer), venda de templates de design prontos para usar e a conclusão de projetos pequenos dentro de uma hora, por meio do serviço Tarefas. São mais de 950.000 designers de 192 países que formam esta competente e talentosa comunidade para ajudar a empresas de todo o mundo a crescerem com sucesso. A sede de 99designs fica em São Francisco e sua operação é feita na Austrália, Alemanha e Brasil. Fernanda Santos Leia mais em startupi 24/04/2015




América Móvil avalia opções à venda de ativos no México

A mexicana América Móvil disse nesta sexta-feira que ainda está revendo alternativas à venda de ativos no México, na onda da entrada da AT&T no mercado, adicionando que não quer vender infraestrutura.

A empresa dissera em julho que iria vender uma parte de ativos no país para reduzir participação de mercado e evitar pesadas novas medidas impostas por uma nova regulação.

O plano original era vender uma fatia da empresa, que agora decidiu rever o plano, desde que a norte-americana AT&T comprou a terceira e quarta maiores operadoras móveis do México, o que pode aumentar a competição de qualquer forma.

"Estamos revisando exatamente como o mercado será no México e então nós tomaremos a decisão sobre o que vender", disse o presidente-executivo Daniel Hajj em teleconferência com analistas, adicionando que a companhia não quer mais vender infraestrutura ou uma fatia de suas frequências ou espectros.

A empresa divulgou na quinta-feira queda de 41 por cento no lucro líquido do primeiro trimestre, pior do que as estimativas devido a um perda com câmbio no exterior pelo segundo semestre seguido, principalmente pela depreciação do real sobre o dólar.Edgard Garrido/Reuters  Leia mais em Exame 24/04/2015



Canon Europa compra Lifecake com vista ao desenvolvimento dos serviços digitais ao consumidor

A Canon Europa anuncia a aquisição da start-up Lifecake, dando assim um grande passo no desenvolvimento do negócio de serviços digitais ao consumidor da Canon. Esta compra posiciona a Canon mais próximo da sua ambição de ter um papel em cada imagem que é tirada, independentemente do equipamento utilizado, e permite estabelecer uma presença na ‘Tech City’ de Londres.

A Lifecake é a empresa por trás da app de partilha de fotos Lifecake direcionada às famílias, que permite aos pais guardar, organizar, partilhar e visualizar momentos importantes das vidas das suas crianças. Com a Lifecake, os pais podem criar timelines de fotos ou vídeos, que toda a família pode assistir nos smartphones, tablets, computadores ou álbum fotográficos impressos.

Alberto Spinelli (L), Diretor de Serviços Digitais da Canon Europa e  Nicholas Babaian (R), CEO e cofundador da Lifecake
Alberto Spinelli (L), Diretor de Serviços Digitais da Canon Europa e
Nicholas Babaian (R), CEO e cofundador da Lifecake

Alberto Spinelli, Diretor de Serviços Digitais da Canon Europa, comenta: “Hoje em dia, tiramos mais fotos e em mais dispositivos do que nunca, mas muitas vezes tornamo-nos desligados das mesmas. Todos gostaríamos de encontrar rapidamente uma foto assim como nos recordamos de um momento – apenas com um toque – e revivê-lo em qualquer ecrã ou até mesmo imprimi-lo. Na Canon, estamos a criar serviços digitais para ajudar as pessoas a fazer isso mesmo com experiências personalizadas.

“A Lifecake é uma adição muito entusiasmante para o Grupo Canon, fornecendo um serviço digital que dá às famílias o controlo do seu crescente número de fotos. Esta aquisição encaixa perfeitamente na nossa visão de dar a todos aqueles que tiram fotografias, as ferramentas para dar vida às suas experiências e histórias – e revivê-las quando e onde quiserem.”

O CEO e co-fundador da Lifecake, Nicholas Babaian diz: “Com o alcance e tecnologia da Canon, vamos impulsionar o nosso serviço ao máximo. Em paralelo, a nossa equipa vai acelerar o crescimento do ecossistema de serviços digitais da Canon. Mas estamos muito satisfeitos por os nossos atuais e potenciais clientes poderem ter as suas preciosas memórias seguras com uma das marcas de fotografia mais fiáveis do mundo – uma empresa que ajuda famílias a capturar e reviver momentos desde o início dos anos 80 e vai continuar a fazê-lo durante as futuras gerações”.

A app Lifecake está atualmente disponível em inglês em todo o mundo. Hoje serão lançadas versões em quatro novos idiomas, Francês, Alemão, Espanhol e Italiano. Leia mais em techenet 24/04/2015